Ué, por que está mais difícil agora?


Você se interessaria por um jogo de vídeo game em que depois de cada fase vencida, o nível de dificuldade diminuísse?

Dei risada quando compararam a vida de mãe com um vídeo game, quando achamos que o bebê está saindo de uma fase difícil surge uma ainda mais complicada, mas a verdade é que isso acontece em toda a nossa vida, não é?

Conforme amadurecemos, assumimos responsabilidades maiores.

Conforme temos mais responsabilidades, maiores são os problemas que surgem quando falhamos.

E quando antigas dificuldades estão “mamão com açúcar” para nós, logo nos veremos em situações ainda mais complicadas... porque há coisas que só conquistamos quando estamos de fato preparados (...já diria Paulo que Deus é fiel e não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar.1 Coríntios 10:13)

A Bíblia diz que aquele que diz não ter pecado é mentiroso (1João 1:8). E de fato é.

Quando vencemos algum pecado, e desenvolvemos facilidade para resistir à tentação que nos encaminhava para ele, logo seremos levados a enxergar outros que Deus quer tratar em nós, mas que passavam despercebidos. E isso nunca para, minha gente! Ainda tenho só 28 anos, mas acredito tanto nisso que até já posso me ver com 90 anos e ainda apanhando da verdade, que é tão viva e eficaz, mais afiada que espada de dois gumes, que penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração!

Se isso não está acontecendo com você diariamente, algo deve estar incrivelmente errado.

Se nos seus momentos com Deus você não está ouvindo dele coisas que precisa melhorar, posso quase garantir que alguma coisa está desalinhada.

Não porque Deus seja uma figura má, que nunca está satisfeito e vive à procurar pecados em nós para nos trazer cansaço e condenação, mas porque relacionamento (de amor verdadeiro) de um pai para com um filho envolve cuidado, ensino, educação, desenvolvimento, correções e impulsionamentos. Resumindo, muuuuuito “cantinho do pensamento”.

E quando entramos em sua presença e lemos sua palavra, só teremos eficiência em nossa transformação de vida e renovação de mente se o fazemos com sinceridade e humildade.

Houve um tempo em que fazíamos perguntas porque realmente tínhamos dúvidas e queríamos as respostas. Mas caímos muitas vezes no hábito de fazer perguntas porque não concordamos com as respostas que já temos, e queremos respostas diferentes. Somos tentados a adotar posturas rígidas, revoltadas e até esnobes quando questionamos Deus. E queremos realmente que Deus nos responda?

É essa postura que nos impede de ter um relacionamento saudável no nível vertical;

Não digo isso por achar que precisamos concordar (logo d

e cara) com tudo o que a Bíblia diz. Mas precisamos desenvolver uma fé e um amor por Deus que seja inabalável, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. (Tiago 1. 6)

Precisamos desenvolver um coração humilde, que chega a Deus porque quer sinceramente entender seu ponto de vista, que com certeza é mais amplo e completo que o nosso. (Consegue enxergar a diferença na postura?)

Da mesma forma, houve um tempo em que ouvíamos as pessoas para entendê-las. Mas também caímos no hábito de ouvi-las para respondê-las. E isso desgasta nossos relacionamentos horizontais da mesma forma. Minha amiga, e nova missionária tailandesa (fica a dica de como investir no Reino e em terreno fértil), Bruna Zanatta me disse que quem fala sobre isso é o Stephen Covey num dia que compartilhei a frase sem saber a autoria, então está feita a citação correta. Obrigada Bru!

Fechando o parêntese do relacionamento horizontal e voltando para o vertical, precisamos conhecer o Deus que nos ama exatamente como somos, mas que não quer que tenhamos sempre o mesmo comportamento que costumávamos ter. Afinal, eu também não quero que o Benjamin se comporte como uma criança de dois anos pro resto da vida, isso com certeza não vai fazer bem pra ele.

Existem ainda mais duas coisas que encontrei na Bíblia sobre esses processos que vamos enfrentar nesta longa jornada chamada vida!

Para conseguir amar a Deus, primeiro preciso conseguir amar meu próximo:

Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 1 João 4:20

E para ouvir e crer nas coisas celestiais, preciso primeiro crer no que Ele fez aqui na Terra:

Eu lhes falei de coisas terrenas e vocês não creram; como crerão se lhes falar de coisas celestiais? João 3:12

Tô doidinha pra amar a Deus ainda mais e ouvir Ele falar sobre coisas celestiais.

Em 2018 quer se juntar a mim nesta intensa tentativa de amar o próximo e acreditar com força naquilo que lê na Biblía?

Tá aí o “Pré-requisito”...


Posts Em Destaque